E o TEF…

frustrada

Sabe quando as coisas não acontecem do jeito que você esperava? Isso foi meu TEF. Os resultados chegaram e eu fiquei extremamente frustrada, me senti como se tivesse jogado dinheiro no lixo.

Eu farei um post depois explicando sobre o TEF, mas eu estou decepcionada comigo mesma. Na prova oral eu fiquei extremamente nervosa, e tirei uma nota absurdamente vergonhosa.

A minha melhor nota foi C1 na Compreension Écrit, o que eu já esperava ser minha melhor nota, já que eu leio em francês muito mais do que falo ou escrevo. Mesmo assim, não esperava ter tirado as notas que tirei, ainda mais porque fiz cursos preparatórios e simulados…

Bem, não adianta chorar em cima do leite derramado, não? Já tinha lido relatos que o TEF é mais complexo que o TCF-Q, mas como a gente não sabia se seguiria por Quebec ou pelo Express Entry, resolvi arriscar no TEF, para tentar garantir pontos para o EE. Inclusive estamos aqui quebrando a cabeça para tentar encaixar as 5 notas nos 4 nichos de pontos do Québec.

Estou no limite para decidir se quero tentar o TCF-Q neste 19/12 ou se espero para fazer em janeiro. Estou em dúvida para saber se deixo as festas passarem ou se vou agora… Fato é que vou apenas fazer a compreensão oral e a expressão oral do TCF, que são as notas que preciso garantir os pontos…

Desculpe até o post meio pra baixo, mas em breve nós vamos vir com tópicos mais animados!

Abraços.

A Saints.


Poupança Canadá

Olá, amigos, como vão?

Sei que estamos devendo diversas postagens aqui, mas ontem ficamos com este assunto na cabeça.  E explicamos. 

Nosso desejo é sair. Cremos que a partir do instante onde se aplica para qualquer processo de imigração, o desejo é partir o quanto antes. Acontece que isso não depende só de nós. Não depende só do nosso dinheiro, estudo e/ou disponibilidade, depende de muitas coisas. Arriscamos a dizer que a maior barreira seja a da burocracia.

Acompanhando os grupos, temos visto relatos de pessoas que simplesmente pausaram suas vidas por anos, em prol deste novo projeto de vida. Temos convicção de cada pessoa sabe o que é melhor para si, por isso afirmamos com toda a certeza de que isso, no nosso caso, não é saudável. Parar nossas vidas por três, quatro anos traria muito mais prejuízos do benefícios, e não teria nova vida no país dos nossos sonhos que daria jeito.

Paramos para analisar, e as pessoas que enviaram o pedido em junho ainda não  tiveram resposta. Imagina quando virão os de agosto, da nossa leva? Ainda não sabemos. Vale mesmo a pena ficar todos os dias e todas as horas pensando nisso, e esquecendo da vida que deve ser vivida?

Investimos no Canadá como uma poupança. Vamos investindo um pouco, com um rendimento baixo, mas no final o resultado final vai ser ótimo.  Não deixamos de sair para o cinema, jantarmos e até mesmo viajar. Não deixamos de viver. Porque 3 anos das nossas vidas não devem ficar perdidos, enquanto dependemos de forças alheias. Parar completamente nossas vidas durante todo o processo nos deixaria miseráveis. 

Aos poucos vamos fazendo as coisas: fazendo a venda de alguns itens de casa que já não usamos, solicitando algumas traduções, pedindo cartas de empregadores… Um passinho por vez, entre um jantar, um barzinho e um final de semana no interior.

Porque a vida é uma só. E se vamos começar uma nova vida do zero, que a antiga seja sem arrependimentos.
Deixamos aqui nossa reflexão.
Abraços

Les Saints 

1 2 3 4 5 6 17