Post salvo em ‘IELTS’

Express Entry: Primeiros Passos!

Como falamos no último post, resolvemos aplicar para o Express Entry, por ser a forma mais barata de imigração. Nós dois falamos inglês, então isso torna o processo mais fácil, já que só a Saints fala francês para aplicar por Québec, que se tornou o plano C.

Então hoje começamos oficialmente nosso projeto de imigração, já que os primeiros grandes passos foram dados hoje.

Passo 1: Marcar o IELTS

A parte que mais nos dava dor de cabeça foi resolvida hoje: conseguimos marcar a prova do IELTS! Queríamos a prova para maio, mas o melhor que conseguimos em São Paulo foi julho, e agora vimos que só tem para agosto (você pode checar a disponibilidade aqui).

Junto com as novas datas, veio a surpresa: o teste aumentou para R$800. Confessamos que foi um baque, já que nós dois iremos fazer. O pagamento é via boleto, à vista e sem choro.

Dica: se você tem um cartão de crédito com limite alto e/ou que você não vá precisar do limite dele por um mês, pague o boleto com cartão. Você ganha algum respiro em dias, e ainda ganha as milhas equivalentes 🙂

Agora é nos prepararmos para daqui 4 meses.

Passo 2: Pedir documentos na faculdade

O Saints tem já os dois documentos solicitados, da graduação tecnológica. A Saints só tem o diploma, precisa do histórico da graduação e dos diplomas da graduação tecnológica e da pós graduação.

Já começamos a providenciar tudo para termos todos os documentos já traduzidos e reconhecidos em julho, na época do ielts. Estamos nos programando para tentar diluir os gastos por esses 4 meses, já que o dólar está bem carinho.

Algumas faculdades pedem prazos absurdos – tipo a da Saints que pediu 20 dias úteis por um histórico escolar que custará R$45, então é bom se programar.

Passo 3: Criar uma planilha de custos

Como essa brincadeira toda sai muito caro, começar a colocar no papel os custos é no mínimo prudente.

Criamos uma planilha composta por valores estipulados e fixos, cruzando com a cotação das moedas estrangeiras e peridiciocidade e também o dinheiro que temos em caixa para este projeto, assim conseguimos ter uma visão clara do quanto precisamos, temos é já gastamos.

A grande batalha agora vai ser acumular o dinheiro mínimo exigido, que hoje está na casa dos CAD$15 mil, enquanto gastamos com documentações e traduções. Já começamos a pensar um bazar que deve ir ao ar em breve, para já desapegarmos de algumas coisas aos poucos (e assim gerar um dinheiro extra).

Se for do interesse de alguém, podemos passar a planilha depois, ou até mesmo replicar aqui.

Por enquanto estamos nessa fase de planejamento + medo do financeiro.

Se alguém tiver uma boa dica de economia, vamos adorar saber.

Agora começaram mesmo os preparativos. Vamos torcer para conseguirmos cruzar a linha de chegada.

Abraços
Les Saints.


Express Entry: Pensando bem, que mal tem?

image

Semana passada fomos na palestra em São Paulo promovida pela MJ Consultoria, e confesso que foi bem esclarecendora.

A gente ainda tinha muitas dúvidas sobre como funcionava certinho o Express Entry, e conseguimos esclarecer na medida do possível. Claro que a consultora cobra pelo trabalho, mas conseguiu muito responder perguntas básicas para darmos procedimento. E falou uma coisa que marcou muito a nossa cabeça.

Quando ela explicou sobre o funcionamento do Express Entry, falou também sobre o porquê todo candidato deveria aplicar por ele, independente da província. E o motivo é bem lógico e a gente não tinha ainda associado direito: ele traduz a realidade do mercado canadense. Pombas, se queremos ir para um outro país, como não sentir a realidade do local dessa forma?

O mais legal é que você estando no site do Express Entry, você também pode ser chamado por todas as outras províncias que também tem acesso ao sistema (exceto Québec), então as chances aumentam. E, segundo a consultora, quando você entra no EE, isso não fecha as portas para outros processos de imigração. Então isso pesou bastante.

No final, resolvemos aplicar pelo Express Entry. É um processo bem mais barato do que o College, e mais garantido também, afinal estudar não garante imigração. Resolvemos partir em busca do que precisamos para efetuar nossa inscrição no site: IELTS (exame de inglês) e validação do diploma (via WES).

Depois de muita tentativa, conseguimos nos inscrever no IELTS General, para 30 de julho. Lembrando que este IELTS é diferente do teste aplicado para quem pretende ir estudar no Canadá. E vale frisar também o quanto foi difícil para conseguirmos agendar, já que as datas estavam sempre indisponíveis. Vale acessar o site e ficar checando sempre, já que o teste é utilizado não só para quem pretende ir ao Canadá, mas também à Austrália, Nova Zelândia e Reino Unido.

Quanto aos nossos documentos da faculdade, O Saints já tem tanto o histórico escolar quanto o diploma da faculdade. A Saints precisa do histórico escolar da faculdade e da pós graduação, para então mar tudo para a tradução juramentada e então validar no WES. Cremos que até julho já temos todos os documentos em mãos, para assim dar entrada pelo sistema Express Entry. Vamos ver como ficarão nossos planos até lá.

A Saints também está pensando se vale a pena aplicar para o teste de francês. Queremos decidir isso também até julho.

Bem, falamos demais. Queremos saber os planos de vocês também.

Abraços

Les Saints


1 2 3