Post salvo em ‘Reflexão’

Você quer ir para o Canadá ou ir Embora?

sairdopais

Olá, amigos.

Hoje estamos aqui com uma reflexão: você quer ir para o Canadá ou sair do país?

Temos lidos diversos grupos, onde a maioria do sentimento é: “quero sair do país, não aguento mais morar aqui”. E, ao nosso ver, esse é o motivo errado para tentar começar uma nova vida. Polêmico, sabemos, mas vamos lá.

Sabemos das mazelas de nosso país. Sabemos de toda corrupção, roubos, sistemas precários de saúde, educação e segurança, dificuldades econômicas. Sabemos de tudo isso e muito mais, graças aos noticiários que vemos na TV como também por situações que passamos no nosso cotidiano. E isso realmente nos enraivece e entristece. Por outro lado, deixar tudo para trás somente por este motivo e não por algo maior ainda não é a solução correta.

Você já parou para pensar o que faz querer ir ao Canadá?

Pense bem, existem centenas de novas possibilidades. Quantos países existem no mundo? Muitos. Sua área de emprego provavelmente é forte em diversos outros lugares também, onde você talvez tenha a chance de um processo mais simplificado e rápido, mas você ainda insiste que o país da folha de bordo é seu destino.

O que te faz escolher o Canadá? Você já se fez essa pergunta?

Essa deve ser a primeira pergunta de todas. Antes de começar a estudar um idioma, ou de começar a traduzir documentos. Por que esse país? O que ele me oferece que os outros não oferecem?

Pense bem: é nesse país que você vai começar do zero. E apesar das mazelas do nosso país, não vivemos em situações de risco eminentes, como os sírios, por exemplo. Não precisamos jogar tudo para o alto e sair correndo. Podemos fazer as coisas com certa calma e planejamento, então por que escolher esse ou aquele país?

No caso do Canadá sabemos da baixíssimas temperaturas na maior parte do ano. Pense em você hoje: você odeia aqueles dias nos quais fazer 15 graus? Então como você quer ir ao Canadá?

O fator emocional conta muito mais que o financeiro ou profissional.

Na nossa modesta opinião: visitar a cidade onde se planeja morar é fundamental para essa nova etapa da vida. Temos visto um número sem igual de pessoas que estão dispostas a mudarem sem nunca terem saído do país. Achamos isso muito preocupante, de verdade. Longe de nós interferirmos no sonho de alguém, mas você sinceramente não acha que vale a pena adiar um pouco o planejamento e ir pelo menos visitar o país que deseja conhecer? Ver qual bairro te agrada mais, qual tem as melhores escolas para seus filhos, o que tem mais a ver com sua personalidade…

Nosso plano é visitar o Canadá no primeiro semestre de 2017. A Saints conhece bem Montreal, cidade onde provavelmente moraremos, mas nós queremos visitar outras possibilidades além de mostrar para O Saints o país maravilhoso que deve ser nossa próxima residência.

Enfim, esse era mais um post de reflexão mesmo, não era para desanimar niguém. Perguntas serão invariáveis nesse processo de imigração, e queremos estar preparados para perguntas do tipo “Mas como vocês vão morar lá? Sequer conhecem o país direito”.

Fiquem bem e bom planejamento para todos.

Abraços.

Les Saints.


Reflexão e Desabafo

eu-estou-sobrevivendo

Essa imagem mesmo representa muito do que nós sentimos: “estou apenas sobrevivendo”. Todos os dias têm sido assim, uma sensação constante de que somos vencedores por não termos tido muitas mudanças no nosso estilo de vida com tudo isso que acontece nesse país.

Mas somos apenas sobreviventes.

Ontem tivemos protestos por todo o país. Milhões saíram às ruas, alguns falaram besteira, outros exageraram, e por mais que achemos que a ideia é boa, apenas nos perguntamos: para onde isso vai?

O protesto é bom, mas se a Dilma sai, quem assume? Temer? Cunha? Quem efetivamente poderia assumir e representar uma mudança? O que a saída da atual presidente do governo traria de benefício para a população? As respostas destas perguntas são pavorosa.

Vivemos há anos em robalheira, caixa 2, lavagem de dinheiro, favorecimentos… E agora a conta veio. E quem está pagando? O mesmo povo que sempre pagou. E por mais que a gente culpe x, y ou z, a gente tem nossa parcela de culpa. Desde o descobrimento do Brasil somos roubados (Portugal levou carregamentos e carregamentos de ouro e afins), e nunca fizemos nada. Sempre fomos passivos, com o nosso jeitinho brasileiro do “enquanto não me prejudica, tá tudo bem”.

Não, não tá tudo bem. Hoje O Saints pegou um taxi para ir ao trabalho, como ele faz todos os dias, e o taxista o conhece porque vira e mexe o leva. Hoje eles começaram a conversar casualmente, e o senhor, na casa dos 50 anos, começou a chorar dentro do carro. Disse que estava difícil a situação, que estava fraco o movimento, que ele vai ter que tirar a filha do colégio, e ele não sabe como fazer porque está começando a faltar comida em casa. Um senhor, trabalhador honesto, pai de família, perdeu a compostura hoje. O Saints ficou mal, e eu fiquei mal assim que ele me contou. Essas coisas me afetam mesmo, e eu imagino a dor desse pai não conseguindo criar a filha como ele gostaria. Mais uma pessoa tentando sobreviver.

E então eu penso no país. Pensamos em filhos, mas como? Pagamos impostos, todos direitinhos, e o que temos em retorno? Não temos segurança, saúde, educação, nada. Nada com o dinheiro que pagamos ao governo, e que deveria nos voltar de alguma forma, mas a realidade é que se você não dispor de recursos próprios, você mal consegue sobreviver – as escolas não ensinam, os hospitais não nos atendem e o medo é claro na nossa sociedade, onde agora devemos AGRADECER quando sofremos qualquer tipo de crime e não morremos.

O problema é que está cada dia mais difícil sobreviver.

Então enquanto a gente consegue ainda respirar um pouco mais, o jeito é correr atrás da saída. Porque ficar aqui no país não é mais uma possibilidade. Enquanto não tiver uma série de reformas – e isso inclui o pensamento das pessoas! -, não tem solução aqui. Não que odeie o país, não me entendam errado. Mas eu quero ter um filho, e que ele tenha um futuro, algo que não vai acontecer aqui tão cedo.

Alguém mais nessa situação? Ou eu sou louca em achar isso tudo sozinha?

Abraços

1 2