Post salvo em ‘São Paulo’

Express Entry: Pensando bem, que mal tem?

image

Semana passada fomos na palestra em São Paulo promovida pela MJ Consultoria, e confesso que foi bem esclarecendora.

A gente ainda tinha muitas dúvidas sobre como funcionava certinho o Express Entry, e conseguimos esclarecer na medida do possível. Claro que a consultora cobra pelo trabalho, mas conseguiu muito responder perguntas básicas para darmos procedimento. E falou uma coisa que marcou muito a nossa cabeça.

Quando ela explicou sobre o funcionamento do Express Entry, falou também sobre o porquê todo candidato deveria aplicar por ele, independente da província. E o motivo é bem lógico e a gente não tinha ainda associado direito: ele traduz a realidade do mercado canadense. Pombas, se queremos ir para um outro país, como não sentir a realidade do local dessa forma?

O mais legal é que você estando no site do Express Entry, você também pode ser chamado por todas as outras províncias que também tem acesso ao sistema (exceto Québec), então as chances aumentam. E, segundo a consultora, quando você entra no EE, isso não fecha as portas para outros processos de imigração. Então isso pesou bastante.

No final, resolvemos aplicar pelo Express Entry. É um processo bem mais barato do que o College, e mais garantido também, afinal estudar não garante imigração. Resolvemos partir em busca do que precisamos para efetuar nossa inscrição no site: IELTS (exame de inglês) e validação do diploma (via WES).

Depois de muita tentativa, conseguimos nos inscrever no IELTS General, para 30 de julho. Lembrando que este IELTS é diferente do teste aplicado para quem pretende ir estudar no Canadá. E vale frisar também o quanto foi difícil para conseguirmos agendar, já que as datas estavam sempre indisponíveis. Vale acessar o site e ficar checando sempre, já que o teste é utilizado não só para quem pretende ir ao Canadá, mas também à Austrália, Nova Zelândia e Reino Unido.

Quanto aos nossos documentos da faculdade, O Saints já tem tanto o histórico escolar quanto o diploma da faculdade. A Saints precisa do histórico escolar da faculdade e da pós graduação, para então mar tudo para a tradução juramentada e então validar no WES. Cremos que até julho já temos todos os documentos em mãos, para assim dar entrada pelo sistema Express Entry. Vamos ver como ficarão nossos planos até lá.

A Saints também está pensando se vale a pena aplicar para o teste de francês. Queremos decidir isso também até julho.

Bem, falamos demais. Queremos saber os planos de vocês também.

Abraços

Les Saints